Era uma vez um homem a quem foi dado uma horta para que ele pudesse tirar seu sustento. No entanto, os dias passaram e o homem não cultivou. Semanas se passaram e ele não se preocupou em cultivá-la ou fertilizá-la. Depois de alguns meses, as ervas daninhas cobriram quase todo o campo.

Quando o inverno se aproximava e a hora da colheita chegava, o homem não tinha nada para colher. Desesperado e com raiva, ele olhou para o céu perguntando:

– O que eu fiz de errado, oh Deus, por você me tratar desse jeito? Que mal fiz para me enviar este infortúnio? Olhe para os campos do meu vizinho como eles são férteis e olhe para o meu quão seco e murcho!

Esta história, encontrada no livro “Diálogos com Abul Beka”, mostra-nos perfeitamente o modo de agir e raciocinar, muitas vezes bastante irracional, de pessoas invejosas.

Inveja, um dos sete pecados capitais, é um ressentimento profundo e muitas vezes hostil em relação a uma pessoa que possui algo que desejamos. É um anseio pelo que alguém tem, mas se sentindo inferior e incapaz de alcançá-lo.

Os 5 tipos de pessoas invejosas

1. O invejoso sarcástico. Aparentemente, essa pessoa assume tudo com um grande senso de humor, mas na realidade elas estão camuflando sua inveja através do sarcasmo, que é sua arma favorita para fazer os outros se sentirem mal. Ela não atacará diretamente, mas sempre estará atento para destacar suas fraquezas ou erros com um sorriso em seus lábios. É a sua maneira de se sentir inferior. E se você perguntar a ela o que quis dizer, provavelmente ficará ofendida e aborrecida.

2. O direto invejoso. Essa pessoa ataca diretamente, para fazer você se sentir mal. Normalmente são pessoas inseguras, com uma personalidade agressiva, que cuidam de detalhar seus defeitos para tentar que você não possa aproveitar o que conseguiu. Eles permanecem atentos, de modo que, a qualquer pequeno sinal de sucesso, o lembrarão de uma falha ou erro anterior. Este tipo de pessoas invejosas é muito cuidadoso porque não hesitará em colocar obstáculos no seu caminho, para evitar que você seja mais bem-sucedido.

3. O invejoso pessimista. Seu objetivo é minar seu moral e arruinar sua motivação. Qualquer notícia positiva que você dê e que possa gerar inveja, irá refutá-la recorrendo a argumentos negativos com o único propósito de deprimi-lo.

4. O competitivo invejoso. Essa pessoa não lhe dirá nada abertamente, mas sua atitude e ações dizem tudo. Ele está ciente de cada pequeno detalhe de sua vida, para imitar você. Se você comprar um celular, corre para comprar outro que seja muito melhor, se você trocar de sofá, corre para comprar outro maior e de melhor qualidade. É o tipo de pessoas invejosas que nunca estão satisfeitas com o que têm, então elas continuamente querem o que os outros têm e até fingem gerar inveja em você.

5. O invejoso à espreita. Essa pessoa também não lhe dirá nada, pelo menos no começo. Ele se torna um tipo de voyeur silencioso, que assiste sua vida passar com inveja. Quando você finalmente cometer um erro, falhar ou algo der errado, aproveita esse momento de queda para colocar o dedo na ferida. Sua frase favorita é: “Eu lhe falei!”, Que esconde uma satisfação profunda porque se sente superior.

A inveja não é “invejável”: na mente da pessoa invejosa

Jorge Luis Borges destacou que em espanhol, para dizer que algo é muito bom, afirma-se que “é invejável”. No entanto, a inveja é um dos sentimentos mais prejudiciais que existe. Ela causa danos a quem a experimenta e também a quem quer que seja o objeto dela, porque muitas vezes essa pessoa é forçada a superar todos os tipos de obstáculos que pessoas invejosas colocam em seu caminho.

A inveja é um sentimento corrosivo que pode arruinar a vida. Carrie Fischer resumiu brilhantemente com estas palavras: “A inveja é como beber veneno e esperar que a outra pessoa morra”.

Agora os investigadores do Instituto Nacional de Ciências Radiológicas do Japão verificaram que, de fato, a inveja causa muito dano àquele que a alimenta. Esses neurocientistas pediram a um grupo de pessoas que imaginasse que eram protagonistas de diferentes dramas sociais nos quais eles tinham um status social muito baixo e outras pessoas aceitavam os méritos.

Eles descobriram que a inveja ativou as mesmas regiões do cérebro relacionadas à dor física. E quanto mais inveja os participantes relatavam, mais essas áreas eram ativadas.

Ao mesmo tempo, quando se pedia a essas pessoas que imaginassem que outras fracassaram, os circuitos de recompensa foram ativados em seus cérebros, o que significa que a infelicidade da pessoa invejada ativa os centros de prazer nos invejosos. Em outras palavras: aproveite a infelicidade dos outros.

O problema é que a pessoa com inveja tem dificuldade em apreciar as coisas boas de sua vida, simplesmente porque ela está muito ocupado se preocupando com as coisas boas que acontecem na vida dos outros. Harold Coffin disse: “A inveja é a arte de contar as bênçãos do outro em vez das próprias”.

A pessoa invejosa sente-se inferior, e no fundo acredita que nunca pode se tornar tão feliz, poderosa, capaz ou preparada como os outros, e é por isso que ela alimenta a inveja. De fato, um estudo muito interessante realizado na Universidade Carlos III de Madri revelou que pessoas otimistas ou que têm grande autoconfiança têm menos probabilidade de sentir inveja porque tendem a ser mais cooperativas e altruístas em suas relações sociais.

No entanto, as pessoas invejosas geralmente são muito competitivas, sempre querem ter mais do que outras, mas, ao contrário de outras, não escolhem estratégias colaborativas, mas preferem ir por conta própria, mesmo que isso signifique piores resultados para todos. Desta forma, alimentar a inveja é como cavar o poço onde decidimos enterrar a felicidade. Portanto, a inveja nunca é invejável.

Como lidar com pessoas invejosas?

Nós não podemos impedir alguém de nos invejar. E, em muitos casos, não podemos fazer nada para mitigar a inveja dos outros, porque essas pessoas têm uma maneira muito peculiar de entender o mundo. O sociólogo austríaco Helmut Schoeck disse: “O invejoso acha que se seu vizinho quebra uma perna, só pode ter sido para andar melhor”.

Pessoas invejosas têm uma maneira de ver o mundo tão egocêntrico e distorcido que até os erros dos outros às vezes parecem “bênçãos”. Portanto, o mais inteligente é tentar ficar longe delas e estar atento ao tropeço que pode nos colocar no caminho.

Outra alternativa é destacar suas próprias forças e sucessos, com a esperança de que a pessoa invejosa compreenda que somos todos diferentes e que temos habilidades diferentes. Não é necessário comparar porque não precisamos ser melhores que os outros, mas apenas melhores que nós mesmos.

Do site Despierta Cultura

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS