Uma história de origem chinesa conta que existia um camponês que era considerado muito próspero porque possuía um cavalo que lhe servia para arar a terra e para transportá-lo.

Um dia um raio quebrou a entrada do curral e o animal escapou. Os vizinhos, ao saberem disso, foram vê-lo entristecido com a perda, dizendo: “Que azar teve você, vizinho; se não fosse por essa tempestade, você não teria perdido seu único cavalo”. O camponês disse simplesmente:

“Sorte? Azar? Isso são apenas pontos de vista “.

Alguns dias depois, o animal voltou acompanhado de dois cavalos selvagens das montanhas. Todos os vizinhos se alegraram e foram felicitá-lo por ter tido sorte. O camponês disse apenas: “Sorte? Azar? Isso são apenas pontos de vista “.

No dia seguinte, o filho do fazendeiro tentou montar um dos cavalos selvagens; o animal sacudiu jovem longe que, ao cair, quebrou a perna. Teve que ser imobilizado e lhe foi recomendado que ficasse na cama por alguns meses. Naturalmente todos os vizinhos ofereceram seu consolo para diante desse golpe de azar sofrido pelo homem. E foram outra vez se solidarizar  com o camponês, que respondeu:

“Sorte? Azar? Isso são apenas pontos de vista “.

Uma semana depois, os oficiais de recrutamento chegaram ao local para alistar os jovens para o exército desde que uma guerra estourava nas fronteiras da China. Eles rejeitaram o filho do fazendeiro porque sua perna estava quebrada. Quando os vizinhos lhe disseram que ele tinha sorte porque seu filho não havia sido alistado, o camponês respondeu:

“Sorte? Azar? Isso são apenas pontos de vista “.

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS