Para enfrentar a ameaça de cães vadios, o primeiro-ministro do Butão, Lotay Tshering, pediu na sexta-feira às pessoas que adotem um cão vadio como presente de aniversário do rei. O rei fará 40 anos este ano. Para isso, ele pediu às pessoas que lhe dessem um presente plantando uma árvore, adotando um cão vadio ou comprometendo-se a gerenciar os resíduos no seu bairro.

“Em nível individual, o primeiro-ministro disse que se pode plantar uma árvore e cuidar dela, adotar um cão vadio ou comprometer-se com o gerenciamento de resíduos em sua vizinhança. Um compromisso pessoal como este, ele disse, seria o melhor presente para Sua Majestade. Ele também anunciou vários programas nas áreas de economia, educação, saúde e tecnologia. Os programas serão lançados durante o período de um ano “, afirmou o PM do Butão no comunicado à imprensa.

Cães vadios no Butão

O governo do Butão está tomando várias medidas para reduzir o nascimento de cães que circulam livremente e incentivar a adoção de cães vadios. Em julho do ano passado, lançou um projeto chamado Estratégia Nacional de Gerenciamento de População Canina do Butão. A pesquisa havia dito anteriormente que a crescente população de cães criou sérios problemas no país. Várias medidas foram tomadas para enfrentá-lo através de iniciativas comunitárias, disse o Primeiro Ministro.

O Butão também tem dois aplicativos móveis – vacinação em massa de cães e gerenciamento da população de cães – que ajudam as autoridades que trabalham no campo a monitorar a equipe e ter acesso a informações como o número de cães castrados.

Informando sobre o desenvolvimento recente, uma jornalista do Butão, Namgay Zam, disse que já adotou três cães vadios e pediu que outros também o façam.
O pequeno reino budista do Butão está voltado para a felicidade dos cidadãos, e o artigo 9 da sua constituição a cita como um objetivo. No último censo realizado em 2015 pelo Ministério da Felicidade, 35% da população respondeu ‘extremamente feliz’, 47,9% disseram que se sentiam ‘moderadamente felizes’ e apenas 8,8% dos entrevistados disseram que estavam ‘infelizes’.

Com informações de republicworld.com

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.