A professora de Harvard Carole Hooven recebeu críticas após uma aparição na Fox News esta semana, na qual ela alegou que o sexo biológico é real e defendeu o uso contínuo de termos como “mulheres grávidas” e “homem e mulher”.

“A ideologia faz parecer que a biologia realmente não é tão importante quanto como alguém se sente sobre si mesmo, ou sente que é seu sexo”, disse Hooven ao “Fox & Friends” na quarta-feira. “Os fatos são que só existem de fato dois sexos – o masculino e o feminino – e esses sexos são designados pelo tipo de gameta que produzimos.”

Hooven, autora de um livro sobre testosterona, ensina Biologia Evolutiva Humana na escola e apareceu em um segmento dedicado a discutir como as escolas de medicina haviam acordado.

A coisa toda não caiu bem para Laura Simone Lewis, a Diretora da Força-Tarefa de Diversidade e Inclusão do Departamento de Biologia Evolutiva Humana de Harvard.

Lewis, que se identifica no Twitter como uma “sereia feminista Blewish”, chamou a defesa da ciência de Hooven de “perigosa”.

“Estou chocada e frustrada com as observações transfóbicas e prejudiciais feitas por um membro do meu departamento nesta entrevista à Fox and Friends” , escreveu ela .

“Respeito Carole como colega e cientista”, acrescentou Lewis, “mas essa linguagem perigosa perpetua um sistema de discriminação contra pessoas não cis dentro do sistema médico. Ela se opõe diretamente ao trabalho de nossa Força-Tarefa que visa criar um espaço seguro para acadêmicos de TODAS as identidades de gênero e sexos. “

Daily mail

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.