Todos nós temos rotinas em nossas vidas. Uma rotina nada mais é do que uma série de hábitos. E não é necessariamente uma coisa negativa.

Por exemplo, se todas as manhãs você tiver uma boa rotina, estará livre de tomar uma série de pequenas decisões que poderiam consumir um tempo precioso. As rotinas liberam-nos da necessidade de tomar centenas de decisões cotidianas, liberando espaço em nossas mentes para tomar decisões mais importantes.

Nessa perspectiva, as rotinas são libertadoras, já que não precisaremos ser constantemente forçadas a tomar decisões. Nós não temos que decidir a cada manhã se vamos escovar os dentes ou não, nós apenas fazemos isso. Boas rotinas nos permitem ser mais eficientes e estruturar nossa jornada.

No entanto, rotinas ruins ou simplesmente aderir demais a esses hábitos, sem introduzir mudanças que representem uma novidade, acabam assumindo um preço emocional. Uma vida muito rotineira aniquila a criatividade e até a vontade de viver. Fazer as mesmas coisas todos os dias, sem introduzir variações, leva à apatia. E de lá para a depressão há apenas um passo.

O curta que mostra o poder destrutivo de uma vida rotineira

Essa breve revelação, feita por Valeria Dakhovich, nos mostra como um homem se vê preso em sua turina diária. Todos os dias ele realiza as mesmas coisas, não há delicadeza ou satisfação real em sua vida. E assim os dias, as semanas, os meses e os anos passam.

No entanto, um dia essa rotina toma forma, torna-se um pequeno e até bom monstro. No entanto, a imutabilidade em sua vida é a comida que nutre esse monstro, que cresce a cada dia. Até chegar ao ponto em que dirige o homem, faz com que funcione como uma espécie de piloto automático. Até que um dia, é simplesmente tarde demais para mudar.

Como sair da rotina?

Seja mais flexível. Pessoas com um padrão de pensamento mais rígido tendem a ser aquelas que aderem às rotinas. Portanto, uma dose de flexibilidade não faz mal. Pense que, embora você tenha feito as coisas de uma certa maneira por um longo tempo, isso não significa que é a única maneira de fazê-lo. Introduza pequenas variações que podem ajudar você a se tornar mais eficiente ou simplesmente aproveitar mais essa tarefa.

– Abra-se para mudar. O mundo muda constantemente, somos nós que nos apegamos às rotinas e ao planejamento. No entanto, de tempos em tempos, é muito saudável praticar Wu-Wei , fluir com os eventos e deixar-se levar pelo que acontece. O mundo trará mudanças continuamente se você não se apegar aos seus modos de pensar e fazer.

– Siga seus estados emocionais. Às vezes, uma tarefa nos custa muito esforço, porque não temos o estado emocional correto. Devemos começar a prestar atenção às nossas emoções porque, afinal de contas, elas são as bússolas da nossa vida. Portanto, sempre que possível, em vez de seguir as rotinas, adapte sua jornada aos seus estados emocionais. Desta forma, você será muito mais produtivo e as tarefas custarão menos.

– Adicione uma dose de novidade à sua vida. Tente fazer algo novo todos os dias. Não é necessário que seja algo importante, eles podem ser coisas pequenas, como mudar o caminho quando você sai para correr, introduzir um novo alimento no seu menu ou ouvir uma nova música. Essas pequenas mudanças permitirão que você saia da monotonia.

– Dê-se permissão para sonhar. A vida não é tudo o que acontece com você e o que aconteceu com você, é também o caminho que você tem pela frente. Portanto, se você quiser escapar da rotina, dê permissão para sonhar. Você tem responsabilidades e não pode se libertar delas, mas pode projetar seu futuro ou simplesmente deixar sua mente vagar e imaginar outros cenários. Se você não os imaginar, eles nunca se materializarão.

 

Via Rincón de la Psicología 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.