Agora com 102 anos, Smith disse que foi uma mistura de solidão e liberdade recém-descoberta que lhe deu a coragem de começar a perseguir sua paixão após a morte de seu marido.

“Tudo o que eu queria fazer era pintar”, disse ela.

“Eu nunca fiz muito antes disso porque ele [marido] era muito crítico”.

“Levei um tempo, mas de repente percebi que é adorável estar livre de tudo”.

“Você pode dizer o que quiser, pode fazer o que quiser e pode pensar o que quiser.”

FOTO: Trudy Smith diz que nunca planeja o que pinta, mas espera que a imagem chegue a ela “da” tela. (ABC Sudoeste: Kate Stephens)

Na Luz

Alguns dos trabalhos mais recentes de Smith, que variam de arte abstrata colorida a peças de paisagem, serão exibidos em uma exposição em seu centro comunitário local para idosos em Eaton, no sudoeste da Austrália Ocidental.

Ela disse que organizar a exposição foi muito trabalhoso, mas não está ansiosa pela atenção.

“Não estou muito feliz em conhecer pessoas e falar sobre minhas próprias coisas”, disse Smith.

Todas as suas pinturas são orgânicas, com muito pouco planejamento envolvido.

“Eu sei que alguns artistas têm muito medo de uma tela em branco”, disse ela.

“Quando vejo uma tela em branco, simplesmente adoro, e posso sentar e olhar para ela, e a imagem vem da tela.”

FOTO: Esta peça chamada ‘Are We There Yet’ será exibida como parte da mais recente exposição de Trudy Smith. (ABC Sudoeste: Kate Stephens)

Abraçando sua erva interior

Trudy Smith sempre quis ser pintora, mas não era a vida que seu pai, médico, incentivava.

“Eu estava meio que desajustada”, disse ela.

Ela se via como a erva que crescia no meio de sua família, uma posição que encorajou outras ovelhas negras.

“Seja uma erva daninha – pois só assim você poderá pertencer a qualquer parte ou lugar e fazer o que quiser, quando quiser, sem temer a reprovação de ninguém”, disse ela.

FOTO: Trudy Smith passa a maior parte do tempo pintando em seu estúdio nos fundos de sua casa. (ABC Sudoeste: Kate Stephens)

Diga sim à vida
A sra. Smith passa a maior parte do tempo pintando em seu estúdio nos fundos de sua casa.

Muitas vezes perguntam-lhe como ela se mantém em forma e saudável na idade dela, mas ela disse que realmente não tem segredo.

Em vez disso, o conselho dela é tentar qualquer coisa, como pintar nos seus últimos anos.

“Às vezes, na vida, você acha que deveria fazer algo, mudar, casar e ter outro filho”, disse ela.

“Sempre quando eu tenho esse sentimento de ‘vou?’ A resposta é sim. ‘”


Fonte: abc.net.au

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.