Tijolos de casa comuns poderiam ser usados ​​para alimentar a eletrônica após um grande avanço na tecnologia de armazenamento de energia.

Pesquisadores da Washington University em St Louis, Missouri, descobriram que o material barato e onipresente poderia ser convertido em unidades de armazenamento de energia para armazenar eletricidade, potencialmente transformando casas em supercapacitores gigantes.

“Nosso método funciona com tijolos normais ou reciclados, e podemos fazer nossos próprios tijolos também”, disse Julio D’Arcy, professor assistente de química da Universidade de Washington.

“Na verdade, o trabalho que publicamos … provém de tijolos que compramos na Home Depot aqui mesmo em Brentwood (Missouri). Cada tijolo custava 65 centavos ”.

Os pesquisadores conseguiram o feito aproveitando o material que cria o pigmento vermelho dos tijolos: óxido de ferro, ou ferrugem.

Para explorar o potencial de armazenamento de energia, os cientistas desenvolveram um revestimento feito de um polímero chamado Pedot, que é feito de nanofibras capazes de penetrar nos tijolos porosos.

Aplicar o revestimento nos tijolos os transformou em supercapacitores, que então usaram para alimentar uma luz LED. Um estudo detalhando essa prova de conceito foi publicado na revista Nature Communications na terça-feira.

“Os tijolos revestidos com pedot são blocos de construção ideais que podem fornecer energia para iluminação de emergência. Imaginamos que isso pode ser uma realidade quando você conecta nossos tijolos com células solares – isso pode levar 50 tijolos nas proximidades da carga ”, disse o Dr. D’Arcy.

“Esses 50 tijolos permitiriam acender a iluminação de emergência por cinco horas. Vantajosamente, se uma parede de tijolos servindo como um supercapacitor puder ser recarregada centenas de milhares de vezes em uma hora. ”

Ainda há um longo caminho a percorrer antes que a tecnologia possa ser comercializada, de acordo com alguns especialistas em energia.

“Do ponto de vista da ciência dos materiais, o trabalho é intrigante e relata algumas características interessantes desta forma particular de supercapacitor”, disse o professor Richard McMahon, professor de Eletrônica de Potência na Universidade de Warwick, que não esteve envolvido na pesquisa.

“Por outro lado, acho que é justo dizer que embora este trabalho seja uma demonstração interessante de uma possibilidade, está muito longe de ser aplicado na prática.”

Fonte: CNN / Science /

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.