Trabalhadores migrantes indianos que retornaram a Uttar Pradesh depois que as fábricas pararam devido ao coronavírus e seus familiares foram pulverizados com desinfetante de alvejante quando entraram em Bareilly. Uma cena horrível na qual o Ministério Público abriu uma investigação.

Agachadas no chão, as pessoas são pulverizadas exatamente como se faz para desinfetar estradas ou ônibus. Bombeiros e médicos, estão vestidos com roupas à prova de fogo e com um megafone, pedem aos trabalhadores que fechem os olhos e bocas.

O vídeo foi postado nas redes sociais pelo jornalista do Times of India mostrando os trabalhadores e suas famílias sendo pulverizados com ‘uma solução química’. “Quem eles querem matar, as pessoas ou o coronavírus?”, Escreve o jornalista no Twitter.

“Os migrantes foram pulverizados com uma mistura de cloro e água”, defende um policial envolvido no exercício. “Nenhuma solução química foi usada. Nós apenas pedimos a eles para manter os olhos fechados “.

No entanto, de acordo com o magistrado do distrito, as coisas não foram exatamente assim e ninguém deu a ordem de pulverizar desinfetantes diretamente nos trabalhadores. Essa solução era para desinfetar ônibus, não pessoas. “A Corporação Municipal de Bareilly e os bombeiros foram solicitados a desinfetar os ônibus, mas também borrifaram o desinfetante nos trabalhadores com extrema cautela. Foram dadas instruções para agir contra os responsáveis “, afirmou o magistrado.

Um oficial dos bombeiros confirmou que a substância deve ser pulverizada em superfícies metálicas e não nas pessoas. Ele então explicou que se trata de hipoclorito de sódio (o principal ingrediente do alvejante).

Após essas imagens terríveis, foi aberta uma investigação para proteger os direitos desses trabalhadores, muitos dos quais, após o fechamento das fábricas e o bloqueio de transporte, chegaram à cidade a pé, outros em ônibus preparados para eles.

Fontes: Fontes: CNN / BBC / Twitter / Scroll.in

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.