Com informações do Jornal da USP / Crédito da imagem de capa: Marcos Santos/USP/Imagens

Os estudante de graduação e pós-graduação com dificuldades socioeconômicas, evidentemente, são os mais afetados pela suspensão das atividades acadêmicas presenciais, por não possuírem, em muitos casos, recursos para se adequarem ao novo sistema de atendimento que é através de aulas remotas.

Com o intuito de suprir essa demanda e estender o atendimento a todos, desde março a USP tem distribuído kits internet — compostos de um chip para celular ou um modem portátil com interface USB, habilitados para 20 GB e mínimo de 100 horas-aulas por mês – a esses estudantes.

2.250 kits foram adquiridos pela Universidade e quase 400 estudantes, dos 1600 que moram na USP, já receberam o equipamento.

“Nossa prioridade é garantir que todos os alunos tenham acesso às atividades sem que haja prejuízo à sua formação. Além disso, ao longo dos últimos anos, temos priorizado as políticas de permanência estudantil, garantindo recursos crescentes em nosso orçamento, e, nesse momento de incertezas, isso não poderia ser diferente”, considera o reitor Vahan Agopyan. A USP investiu cerca de R$ 1 milhão na aquisição dos kits.

“A ideia é que o aluno possa utilizar o modem para propagar o sinal de conectividade sem fio para vários dispositivos computacionais ou utilizar o chip em seu celular. No critério de capacidade de transmissão de dados, fizemos um levantamento do tamanho médio dos vídeos gerados nas aulas de graduação e de pós-graduação e multiplicamos por 100 horas-aula mensais chegando ao total de 20 gigabytes por aluno por mês” diz João Eduardo Ferreira, superintendente de Tecnologia da Informação, que ainda ressalta que os equipamentos atendem todos os critérios técnicos, como versatilidade e capacidade de transmissão de dados.

Em função do avanço da doença no Estado de São Paulo, ainda não há previsão de retorno das atividades presenciais na Universidade.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.