Angenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola (Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1908 — Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1980), foi um cantor, compositor, poeta e violonista brasileiro.

Cartola nasceu no bairro do Catete, no Rio de Janeiro. Tinha oito anos quando sua família se mudou para Laranjeiras e 11 quando passou a viver no morro da Mangueira, de onde não mais se afastaria. Desde menino participou das festas de rua, tocando cavaquinho – que aprendera com o pai – no rancho Arrepiados (de Laranjeiras) e nos desfiles do Dia de Reis, em que suas irmãs saíam em grupos de “pastorinhas”. Passando por diversas escolas, conseguiu terminar o curso primário, mas aos 15 anos, depois da morte da mãe, deixou a família e a escola, iniciando sua vida de boêmio.

O cantor, embora criador de sambas maravilhosos, como As Rosas Não Falam, O Mundo é um Moinho, Ensaboa Mulata, O Sol Nascerá, entre outros, morre na pobreza, no dia 30 de novembro de 1980, portador de um câncer fatal, em terras cariocas, residindo em uma casa concedida pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

“Cartola: compositor de pouco estudo, mas foi ele quem escreveu que o mundo é um moinho e que o abismo, às vezes, cavamos com os próprios pés. Falou de saudade, de dor, de alegria. Foi talvez porta-voz de um tempo mais cordial. soube traduzir os segredos do coração e entendeu as mulheres. Um poeta que transformou sofrimento em canções inesquecíveis.”:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo

Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.


COMENTÁRIOS