Uma pesquisa financiada pela Fapesp, Smithsonian Institution e National Geographic Society, entre outras instituições, revelou que existem ao menos 3 espécies de peixe-elétrico conhecidas na natureza como “poraquê”, e não apenas uma, como se pensava.

Inclusive, uma das espécies descrevidas no estudo publicado na revista “Nature” neste sábado (10) é capaz de emitir uma voltagem extraordinária, na casa dos 860 volts!

Para os pesquisadores envolvidos na descoberta, além de gerar novos conhecimentos sobre o poraquê, depois de mais de 250 anos de sua primeira descrição, o estudo abre “novas possibilidades de investigação, como a origem e a produção de descargas elétricas fortes em outros peixes”.

Na natureza, estima-se que hajam mais de 250 espécies dotadas de um órgão capaz de produzir eletricidade (em geral, fracas), usado para se comunicar e para navegar.

“O poraquê, que pode chegar a 2,5 metros de comprimento, é o único a produzir também descargas fortes. Ele faz isso por meio de três órgãos elétricos. Essas descargas são usadas para defesa e caça”, disse Carlos David de Santana, pesquisador-associado do National Museum of Natural History, da Smithsonian Institution (EUA), e primeiro autor do artigo.

“Empregamos a medida da voltagem como forma de diferenciação, algo inédito na identificação de novas espécies”, disse Menezes.

Com o auxílio de um voltímetro, os pesquisadores registraram em um exemplar de poraquê uma descarga de 860 volts, a maior já medida em um animal e 210 volts superior ao recorde anterior.

RECOMENDAMOS