A Ambev, empresa brasileira do ramo de bebidas, fez um investimento de captação da startup growPack, que trabalha com tecnologia para o desenvolvimento de embalagens com materiais orgânicos. As empresas firmaram parceria para a viabilização de um projeto-piloto. Em outubro, serão lançadas novas embalagens fabricadas com biomaterial em alguns pontos de venda de São Paulo, para testar com os consumidores, visando à produção em larga escala em 2022.

Com uma economia bio-baseada, ou seja, ciclo de vida totalmente sustentável, a embalagem da growPack é produzida com rejeitos agrícolas. O material principal é basicamente palha de milho, obtido de forma 100% mecânica (sem químicos e efluentes). O descarte acontece de maneira compostável ou reciclado na cadeia do papel.

De acordo com a Ambev, a produção das embalagens com o biomaterial consome 80% menos água, reduz em 50% as emissões de gás carbônico (CO2) e economiza 25% de energia elétrica em comparação ao papel cartão.

Objetivo é minimizar impactos ao meio ambiente

A empresa diz que iniciativas como essa minimizam impactos ao meio ambiente. “Estamos testando novas soluções, considerando matérias primas sustentáveis para a produção de embalagens e ampliação da cultura do retornável até atingir nossa meta zero de emissões plásticas até 2025”, conta Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Suprimentos e Sustentabilidade da Ambev.

Segundo Figueiredo, firmar parcerias certas ajuda a atingir esses objetivos. “A Aceleradora 100+ é um desses exemplos. O programa foi além de trazer ideias inovadoras para solucionar os desafios de sustentabilidade propostos, ele nasceu com o objetivo de quebrar estigmas do ecossistema de startups, unindo pessoas comuns e estimulando o empreendedorismo”.

Informações de Ciclo Vivo

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.