Andrew e Joc podem não são irmãos biológicos, mas o destino fez com que além de irmãos, os dois se tornassem melhores amigos.

Andrew passou boa parte da vida em um orfanato. Vendo todos seus quatro irmãos sendo adotados, o garoto viveu a espera de uma família dos 6 aos 10 anos de idade. Foi quando conheceu Dominique e Kevin Gill, que possuem três filhos biológicos e decidiram abrir sua casa para o órfão.

Quando os Gills começaram a recebê-lo, eles não tinham intenção de adotar; eles simplesmente queriam ajudar o maior número de crianças quanto possível, como os pais de Dominique fizeram quando ela era criança.

Segundo Dominique, o garoto não queria se aproximar da família que o recebia. Andrew tinha explosões de raiva e se recusava a criar laços com eles: “Andrew tem quatro irmãos e todos foram adotados imediatamente. Durante sua primeira semana conosco, ele se sentou em seu quarto com a porta fechada e olhou fotos antigas. Ele não queria conversar”.

Ele “gritava e se comportava mal” na tentativa de afastá-los, ela afirma. “Ele começava a gritar: ‘Deixe-me sair!’ Mas eu me recusei a desistir dele. Eu estava tipo, ‘Nós vamos juntar vocês’.”. E realmente, não desistiram de integrar o jovem a família.

Tudo começou a melhorar, quando um dia, Joc, um dos filhos do casal, chamou Andrew, que insistia em não sair de um dos quartos da casa, para jogarem vídeo games juntos, e desde então, se tornaram melhores amigos. “Tínhamos muitas coisas em comum”. Conta Joc “Jogos, Minecraft”, acrescenta Andrew.

Após ver a aproximação dos garotos, a família tomou uma decisão importante. Dominique e Kevin perguntaram a Andrew, aos 12 anos de idade, se ele queria se tornar um membro permanente de sua família em maio de 2020.

Eles tinham uma surpresa especial planejada para tornar esse momento especial. Naquele dia, Molly Parker, uma conselheira da Youth Villages, aproximou-se de Andrew e perguntou se ele queria dar um passeio com ela.


Leia também: Tensão: 8 navios de guerra dos EUA, da Rússia e da China se ‘esbarram’ na costa do Alasca [VIDEO]

Andrew viu os Gills e os amigos da família que conhecera durante seu tempo com eles na caminhada. Ele foi pego de surpresa a princípio pelos balões e cartazes. A família então perguntou a ele, e Joc até vestiu uma camisa que dizia: “Você quer ser meu irmão?”

“Nossa mentalidade era que o ajudaríamos até que ele encontrasse seu lar definitivo. Mas depois que a segunda adoção não deu certo, percebi que Deus colocou Andrew em nossas vidas por um motivo. Deus se certificou de que a adoção não fucionaria para que ele pudesse voltar para nós.”

Quando os Gills perguntaram a Andrew se ele queria ficar com eles para sempre, ele começou a chorar. Dominique conta: “Desde o início, Andrew sempre disse: ‘Obrigado por me aceitar’, ‘Obrigado por não desistir de mim’. ”

“As pessoas liam o arquivo dele e se assustavam. Mas eu sabia que ele era uma boa criança que passou por muitos traumas. Porque Andrew é branco e nós somos negros, as pessoas vão olhar para nós. Elas ficam confusas.”

Andrew, nunca teve problemas com raça. Quando perguntado sobre sua escolha de raça para seus pais adotivos, ele escolheu a opção “sem preferência”.

“O amor não tem cor. (Andrew) é nosso filho, assim como Joc é nosso filho. Ele é uma parte de nós.”, afirma Dominique.

Leia também: Mulheres queimam hijabs e cortam o cabelo enquanto protestos se espalham no Irã após a morte de Mahsa Amini

Fonte: The Sun UK

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS