O Citroen Ami é um carro elétrico que chama a atenção por mais do que isso. O modelo compacto, que é considerado um quadriciclo na Europa, é um sucesso em diversos países, e ao que tudo indica ele poderá chegar ao Brasil em breve.

O modelo francês é um dos carros elétricos mais lentos do mundo e, na Europa, sequer é considerado como tal, e sim um quadriciclo. Por conta disso, não requer que o motorista tenha uma CNH comum, bastando uma licença conhecida como AM.

A licença AM é oferecida para os condutores que tenham idade mínima de 14 anos (no Brasil seria a partir de 16 anos) e desejam conduzir motocicletas e quadriciclos leves, com potência menor do que 50 cm³. E é nesse módulo que o Citroen Ami se enquadra.

Diferente de outros modelos que contam com aceleração poderosa e torque imediato, o Citroen Ami é um veículo mais modesto, sendo por isso um dos modelos elétricos mais lentos do mundo. Por isso, na Europa ele não é nem considerado um carro.

Embora isso o tire de campo de interesse para quem quer um modelo potente e veloz, por outro lado faz com que entre em uma categoria bem interessante. Como na Europa ele não é considerado um carro, também não é preciso ter uma carteira de habilitação para dirigi-lo

Ele tem uma bateria de 5,5 kWh, o que garante uma autonomia de 70 quilômetros. Porém a velocidade máxima é de 45 km/h, graças ao moto elétrico de apenas 8cv.

O Citroen Ami é um sucesso de vendas na Europa, principalmente entre os jovens, já que muitos não podem ainda dirigir um carro ou acabam se encantando com o design compacto e elegante do modelo. Outro motivo para o sucesso é o seu valor, que acaba sendo algo em torno de R$ 127 mensais após o pagamento de uma entrada de cerca de R$ 21.800.

Vanessa Castanho, presidente da Citroen para a América Latina, afirmou ao InsiderEVs que pretende fazer o possível para trazer o carro elétrico compacto para o Brasil. “Não tem como a gente não querer ter o Ami na América Latina e aqui no Brasil”, comentou.

Porém, para isso, ainda é preciso ultrapassar algumas barreiras. Ainda não se sabe exatamente como seria taxado o Citroen Ami por aqui, já que não existe esse tipo de licença para motocicletas e quadriciclos.

Caso seja enquadrado como carro no país, ele teria, obrigatoriamente, que ser equipado com airbag duplo, o que aumentaria o custo e, possivelmente, inviabilizaria seu lançamento por aqui.

Além disso, é preciso verificar como funcionará a legislação para o carro elétrico por aqui, e esses tipos de coisas podem acabar inviabilizando a sua chegada, infelizmente.

Informações de Yahoo

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.