Só podemos imaginar o trabalho árduo que os trabalhadores do 11 de setembro tiveram no Marco Zero, trabalhando dia após dia para limpar os destroços de tal devastação. E podemos apenas imaginar a surpresa que eles devem ter sentido quando, um mês depois de começarem a trabalhar, descobriram um pouco de vida saindo dos escombros – os restos carbonizados de uma pereira Callery.

Com pouco mais do que algumas folhas saindo de um único galho – com raízes quebradas e galhos queimados e quebrados – esta árvore perseverante foi enviada para Van Cortlandt Park para convalescença sob os cuidados do Departamento de Parques e Recreação da cidade de Nova York. Os trabalhadores do parque dizem que não tinham certeza se a árvore daria certo, mas a pequena árvore que conseguiu, sim. Na primavera de 2002, ela germinou uma profusão de folhas; uma pomba fez ninho em seus galhos.

Quando Ronaldo Vega foi contratado como gerente de projetos especiais em 2007, ele se lembrou da história da árvore e foi ao Bronx procurá-la. “Eu me apaixonei por ela no segundo em que a vi”, conta ele no vídeo abaixo. “Ela era uma lutadora. Sabíamos que ela voltaria aqui.”

E assim, após nove anos de reabilitação no Bronx, a Árvore Sobrevivente voltou para casa. Plantado no National 9/11 Memorial & Museum, ele prospera em um lugar solene que está cheio de memórias e vida. Com cicatrizes, mas robusta, ela oferece seus galhos aos pássaros e sombra aos transeuntes … e permanece um poderoso lembrete de resiliência em face da destruição.

“Galhos novos e lisos se estendiam dos tocos retorcidos, criando uma demarcação visível entre o passado e o presente da árvore”, observa o Museu. “Hoje, a árvore é um lembrete vivo de resiliência, sobrevivência e renascimento.”

Você pode conhecer mais da bela história no breve vídeo abaixo.

Tree hugger

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.