Durante um projeto de ciências, estudantes do Colégio Sesi, em Araucária, município do estado do Paraná, apresentaram uma ideia contra a derrubada de árvores e o desmatamento. O grupo desenvolveu uma madeira sustentável produzida através de resíduos de mandioca.

O elemento elaborado pelas alunas Amanda Bueno Coutinho, Ana Vitória de Lara e Letícia Azambuja de Souza, foi batizado como “Wood Herro”, e apresentado durante a 7ª Edição da Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (FIciencias), realizada em Foz do Iguaçu. Além dos resquícios orgânicos de mandioca, o elemento ecológico também tem em sua composição cola, água e tetraborato de sódio, uma mistura de sal hidratado de sódio e ácido bórico (um ácido existente na forma de cristais ou pó branco utilizado na fabricação de inseticidas).

A criação além de ser uma alternativa sustentável, possui um baixo custo de produção. Em entrevista ao portal FIciencias, as garotas declararam que o item é bastante durável e resistente a traças, cupins e até mesmo ao fogo.

“A nossa madeira é feita a partir de resíduos orgânicos da mandioca, como a casca, e utilizamos também outros componentes para deixá-la mais compactada. Para nós fazermos a nossa madeira, fomos variando a quantidade dos nossos materiais (mais cola, menos cola. Mais casca, menos casca), até encontrar o nosso protótipo ideal”.

Isso significa, que mesmo que ela infiltre ela consegue evaporar essa água novamente.” De acordo com as estudantes, o próximo passo é buscar a produção da madeira em larga escala.

Durante os experimentos, o grupo também observou que a madeira é impermeável, já que após a secagem da água o produto retorna ao seu tamanho inicial de confecção. As jovens sonham agora em comercializar o item em larga escala. “Temos como perspectivas utilizar maquinários de parceiros para ver se nossa madeira seria resistente, e poderíamos produzi-las para lançar no mercado”, complementou Ana Vitória de Lara.

The greenest post

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.