Em parceria com o G10 Favelas, projeto Horta AgroFavela-ReFazenda em Paraisópolis, inaugurado em outubro de 2020 pelo Instituto Stop Hunger Brasil, que atua há mais de 23 anos no combate à fome e má nutrição mantido pelo Grupo Sodexo, já colheu mais de 300kg de hortaliças.

Em um espaço de mais de 900 m², que inclui uma horta vertical, vasos de plantas em boxes e canteiro, são cultivadas 60 tipos de espécies de hortaliças e frutas. A horta vertical tem capacidade de produção de 960 pés de hortaliças, contudo a produção depende do tempo de desenvolvimento de cada tipo plantada e das condições climáticas.

Visando levar mais saúde e qualidade de vida às pessoas, toda colheita é doada para os moradores da comunidade e para o projeto Mãos de Maria, que produzem quentinhas para seus habitantes. Nesta fase, foram beneficiadas diretamente 1.009 pesoas, com o recebimento de hortaliças colhidas na horta comunitária AgroFavela-ReFazenda, sendo 5.045 beneficiadas indiretamente.

A horta vertical tem capacidade de produção de 960 pés de hortaliças, entretanto a produção depende do tempo de desenvolvimento de cada tipo plantado e das condições climáticas.

“Um dos objetivos da horta comunitária AgroFavela-Refazenda é disseminar o conceito de fazendas urbanas, adequando ao contexto das comunidades carentes, como Paraisópolis, explorando possibilidades como hortas verticais, utilização de espaço em quintais, lajes e canteiro para plantio e cultivo de hortaliças”, afirma Andreia Dutra, presidente do Instituto Stop Hunger no Brasil.

Leia mais: Hospital em Belo Horizonte possui quase 7 mil m² de telhado verde

Até o momento, já foram beneficiadas diretamente 1.009 pessoas, com o recebimento dos alimentos colhidos na horta, sendo 5.045 beneficiadas indiretamente.

Além disso, o projeto também doa mudas de hortaliças e está capacitando moradores para o cultivo doméstico.

A ação visa também o empoderamento de mulheres com capacitação para cultivo de hortaliças em casa, gerando oportunidade de trabalho e renda por meio da venda de parte da produção. Neste período, 64 pessoas receberam treinamento, sendo 59 mulheres e 5 homens.

“Temos a oportunidade de engajar e apoiar as mulheres, em maioria chefe da família, a terem sua própria renda e uma possível profissão. Toda a infraestrutura do projeto é 100% subsidiada com o apoio financeiro da Stop Hunger na França e Instituto Stop Hunger no Brasil”, afirma Dutra.

Leia também: O jardim florestal com 500 plantas comestíveis que requer apenas algumas horas de trabalho por mês

Sobre o Stop Hunger

Atualmente, o Stop Hunger é uma força de liderança global na luta contra a fome e a má nutrição, sustentavelmente, e com mais de 23 anos de compromisso.

No Brasil desde 2003, diversas iniciativas Stop Hunger têm sido realizadas de maneira consistente e com importantes contribuições. Com o objetivo de expandir sua atuação, em 2015 constitui-se o Instituto Stop Hunger no país. Uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), sem fins lucrativos, que envolve os stakeholders da Sodexo, engajando colaboradores, clientes, usuários, estabelecimentos credenciados e fornecedores e membros da sociedade em geral, com o objetivo de fortalecer a nossa atuação na causa STOP Hunger no país e contribuir na melhoria da qualidade de vida de pessoas menos favorecidas.

CicloVivo / O Democrata / Stop Hunger

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.