Uma jovem de apenas 18 anos morreu na última quinta-feira na cidade de Ibirité, região metropolitana de Belo Horizonte. Ela estava em sua noite de núpcias, segundo informações do G1.

A Polícia Militar explicou que a mulher, que não teve a identidade revelada, mantinha relações sexuais com o marido quando começou a passar mal.

O marido, então, pediu ajuda aos vizinhos. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e levou a jovem a um hospital da região, mas ela não resistiu.

O médico responsável pelo caso explicou que a mulher sofreu uma parada cardiorrespiratória. Ela chegou a ser intubada. De acordo com o laudo, não havia sinais de violência na jovem.

Demora no atendimento
Os relatos dão conta de que a ambulância demorou mais de uma hora para atender ao chamado no bairro de Serra Dourada.

Segundo as testemunhas, o marido chegou a chamar um motorista de aplicativo, que recusou-se a transportar a mulher. Um segundo foi acionado, mas ele aconselhou o rapaz a contatar o Samu.

Risco de morte súbita durante relação sexual é muito baixo, mesmo em cardiopatas

Segundo um estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology, pesquisadores que investigaram o risco de morte súbita em homens e mulheres durante a relação sexual, sugerem que esse tipo de evento é muito raro.

O estudo teve duas importantes limitações destacadas pelos próprios autores: a falta de informações sobre a frequência de atividade sexual e a impossibilidade de avaliar o risco relativo em relação ao descanso e à atividade física. Por isso, esses resultados devem ser interpretados com cautela.

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.