Uma pequena cidade na Argentina desligou as luzes de ruas e prédios públicos após ser invadida por um grande número de besouros.

Milhares de “cascudos”, como são conhecidos na Argentina, ocuparam parques e jardins na cidade de Santa Isabel, na província central de La Pampa.

Eles também foram encontrados nos telhados das casas, onde se escondem em buracos e espaços escuros durante o dia.

“É impressionante a quantidade”, disse o chefe de polícia Omar Sabaidini ao site regional Info Huella. “Em alguns casos provocaram danos às construções, na delegacia estragaram a cobertura.”

Os biólogos dizem que chuvas fortes incomuns para esta época da temporada combinadas com altas temperaturas fizeram com que os insetos se reproduzissem em grande número.

Os insetos, que pertencem à família Melolonthidae (Coleoptera), vivem parte de seu ciclo como larvas enterradas no solo, e no verão com temperaturas crescentes, os adultos vêm à superfície para iniciar sua reprodução – e depois morrem. Com as altas temperaturas deste ano, essa dinâmica foi alterada.

“Tivemos mais chuvas, portanto, mais umidade, e isso, junto com o calor que estamos vivendo, criou um clima favorável para o desenvolvimento desses bichinhos”, disse o vice-prefeito de Santa Isabel, Cristian Echegara.

Echegaray disse à AP que a cidade decidiu fechar as luzes das ruas e dos prédios públicos nos últimos três dias para permitir que os visitantes “saíssem e encontrem outra cidade”.

A esperança da população de Santa Isabel, a 860 km de Buenos Aires, é de que os insetos comecem a evitar a área nos próximos dias, por conta da falta de iluminação.

O engenheiro agrônomo Gabriel Lara afirmou que os besouros – assim como outros insetos – são atraídos pela luz, no fenômeno conhecido como fototaxia.

Enquanto isso, moradores e autoridades locais passam o dia retirando os cascudos e enchendo caixas e carrocerias com milhares de besouros para retirá-los da área urbana.

Informações G1

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.