A cadela Monica é um exemplo da crueldade sofrida por milhares de animais em todo o mundo. Eles não apenas a abandonaram, mas também a maltrataram até que suas quatro pernas fossem amputadas. Felizmente, sua sorte mudou quando ela foi encontrada em dezembro de 2020 na cidade de Plastunóvskaya, em Krasnodar (Rússia).

Marina Gapich, uma ativista dos direitos dos animais de Krasnodar, recebeu um alerta de sua vizinha informando que um cachorro abandonado estava frio na rua há 15 dias e se recusou a comer qualquer coisa que eles lhe oferecessem.

Foi então que Gapich foi procurá-la e levá-la ao veterinário devido ao seu precário estado físico e de saúde. A cadela ficou em estado crítico por mais de dez dias mas, felizmente, graças ao esforço constante dos veterinários que a trataram, conseguiu recuperar a consciência.

Monica não ficou com nenhuma das pernas, todas as quatro foram atacadas. Por isso mesmo, estava sobre a mesa a possibilidade de ser sacrificada, pois se acreditava que ela nunca mais voltaria a andar. Uma opção que a equipe de Sergei Gorshkov, veterinário da clínica BEST, se recusou a contemplar.

Gorshkov já havia feito um implante de quatro patas em dois gatos, mas nunca antes em uma cadela e menos ainda em um animal tão doente. Apesar do risco significativo envolvido, a equipe veterinária decidiu prosseguir com a operação usando pernas biônicas personalizadas, fabricadas com uma impressora 3D e com um revestimento biológico especial para evitar a rejeição.

A operação foi um sucesso e dez dias depois o cão voltou a andar. A história de Monica se espalhou rapidamente pelo mundo, movendo milhares de pessoas e fez história. Como se não bastasse, além de dar esperança a milhares de animais em todo o mundo, sua história está tendo um final feliz inesperado, pois os veterinários que a atenderam receberam diversos pedidos para adoção de um animal.

La Vanguardia

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.