Dependendo do assunto, as atitudes das pessoas podem mudar de momento a momento ou durar a vida toda. Os fatores que tornam uma opinião duradoura e outra efêmera, porém, nem sempre são claros.

Estudos anteriores demonstraram que as opiniões baseadas em fatos e dados reais podem permanecer constantes ao longo do tempo, mas uma nova pesquisa publicada na revista Psychological Science revela que atitudes baseadas em sentimentos e emoções também podem resistir ao teste do tempo. Esta pesquisa tem implicações tanto para prever quais atitudes são fixas ou passageiras quanto para incitar as pessoas a formarem opiniões mais duradouras.

“Sabemos que encorajar as pessoas a pensar com cuidado e racionalmente pode produzir atitudes que mudam menos no futuro”, disse Matthew Rocklage, pesquisador da Universidade de Massachusetts, Boston, e co-autor do artigo. “Nossa pesquisa, no entanto, mostra que as opiniões baseadas nas reações emocionais das pessoas também podem ser particularmente duradouras.”

Leia também: Cérebros extremistas apresentam desempenho ruim em tarefas mentais complexas, revela estudo

Como parte de seu estudo, os pesquisadores perguntaram a mais de 1.000 pessoas até que ponto elas acreditavam que as atitudes baseadas em sentimentos ou reações emocionais eram mais estáveis ​​ao longo do tempo do que aquelas baseadas no pensamento e na análise racional. Apenas 15% expressaram qualquer crença de que as atitudes baseadas na emoção seriam mais estáveis ​​ao longo do tempo.

Para testar o papel que a emoção desempenha na formação de atitudes duradouras, os pesquisadores conduziram sete estudos independentes envolvendo mais de 20.000 participantes em uma variedade de situações do mundo real.

A primeira pesquisa, realizada no dia seguinte ao Natal, mediu sentimentos sobre os presentes recebidos recentemente. O momento desta pesquisa permitiu aos pesquisadores medir as reações do mundo real a uma atitude relativamente recém-formada.

Os participantes receberam uma lista de adjetivos para descrever suas atitudes em relação aos seus dons. Adjetivos como “vale a pena” foram associados a uma reação prática ao presente, enquanto palavras como “delicioso” foram mais fortemente associadas a uma reação emocional.

Um mês depois, os participantes completaram uma pesquisa de acompanhamento para testar a resistência de suas opiniões. Os resultados mostraram que quanto mais forte a reação emocional positiva inicial, maior a probabilidade de que a opinião permanecesse fixa um mês depois.

Leia também: Efeito Dunning-Kruger e o paradoxo da ignorância: por que quem sabe menos, acredita que sabe mais?

Os pesquisadores realizaram testes semelhantes usando praticamente o mesmo procedimento, mas envolvendo outros cenários, como o quanto os participantes apoiaram as marcas de consumo ao longo do tempo e o quão favoráveis ​​foram suas avaliações de restaurantes online entre as visitas.

No teste final, os participantes leram uma das duas mensagens sobre um animal aquático fictício. Uma mensagem continha fatos enciclopédicos sobre o animal (condição de baixa emoção). A outra mensagem era sobre a interação subaquática de um nadador com o animal (condição de alta emoção). Os participantes na condição de alta emoção mostraram significativamente menos mudanças em suas atitudes ao longo do tempo.

“A emocionalidade é um indicador pouco apreciado de atitudes duradouras”, disse Andrew Luttrell, pesquisador da Ball State University e outro autor principal do artigo. “Essas descobertas são importantes para entender por que algumas opiniões são tão difíceis de mudar, bem como para criar opiniões que se fixem”.

Fonte: Neuroscience News

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.