A espanhola Mauricia Ibanez, de 69 anos, foi considerada pelo Supremo Tribunal incapaz de cuidar dos seus filhos gémeos que nasceram há quatro anos após uma fertilização in vitro.

Mauricia Ibanez deu à luz os gémeos Gabriel e Maria de la Cruz num hospital de Burgos, no norte da Espanha, em 2017. Aos 64 anos de idade e tendo viajado aos Estados Unidos para fazer uma fertilização in vitro, Mauricia era considerada a mãe viva mais velha da Espanha.

Mas dez dias depois de voltar para casa do hospital, onde passou um mês após a cesariana, as autoridades consideraram que os gémeos estavam “em risco”.

Os bebês foram então levados para uma instituição e foram depois entregues a duas famílias adotivas, mas podem receber visitas da mãe.

Desde que ela voltou para casa, uma equipe multidisciplinar tem acompanhado o progresso de Ibanez, e os seus relatórios concluem que os gémeos precisam de cuidados num ambiente diferente”, disse, na altura, um porta-voz do serviço social em Burgos.

Esta semana, o Supremo Tribunal espanhol manteve a decisão de 22 de abril de 2020 de retirar as crianças do cuidado da mãe. A decisão, proferida então pelo Tribunal Provincial de Burgos, concluiu que os gémeos não estavam sendo educados nas “condições ideais” e encontravam-se numa “situação óbvia de vulnerabilidade” devido à incompetência da sua cuidadora.

Leia também: ‘Geração digital’: pela primeira vez os filhos têm QI inferior ao dos pais

O tribunal esclareceu que a decisão foi tomada com base na opinião de especialistas e garantiu que esta não estava relacionada com a idade da mãe nem com a sua saúde mental.

Ex-funcionária pública, reformada devido a problemas de “transtorno de personalidade”, Mauricia tem outra filha, Blanca, que também nasceu de fertilização in vitro. De família com dinheiro, decidiu aplicar algum em tratamentos de fertilidade nos EUA em 2011, quando tinha 58 anos. Blanca também foi institucionalizada em 2014, quando tinha três anos. Os serviços sociais alegaram na altura a falta de condições de higiene da habitação e o isolamento da criança, que só contactava com a mãe. Atualmente, Blanca mora no Canadá.

Mauricia Ibanez tem criticado muito as autoridades, a que chama de “serviços anti-sociais”, alegando que “não suportam” que ela tenha tido filhos numa “idade impossível”. Mauricia garante que esta “guerra” não chegou ao fim e que fará tudo o que estiver ao seu alcance para recuperar os filhos.

Leia também: As 10 aulas de Maria Montessori para os pais

A mãe mais velha do mundo é Daljinder Kaur, da Índia, que deu à luz em 2015 aos 70 anos, após dois anos de tratamento de fertilização in vitro.

Carmen Bousada, a mãe mais velha da Espanha aos 67 anos, morreu de câncer aos 69 anos em julho de 2009, três anos depois de dar à luz os gémeos Cristian e Pau, também após uma fertilização in vitro.

Adaptado de UPSOCL

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.