Todos sofremos, nos últimos dias, a angústia do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Inglês Dom Philips no Vale do Javari, região do Oeste do estado do Amazonas. O desaparecimento, que culminou na constatação do assassinato brutal de ambos, revelou ao mundo dois homens apaixonados pela floresta, sua flora e fauna.

Nesta segunda-feira (13), ao mesmo tempo em que corria uma notícia não confirmada que seus corpos haviam sido encontrados, viralizava nas redes um vídeo em que Bruno Pereira cantava uma canção indígena.

Trata-se de uma cena comovente em que, com um sorriso de garoto que se diverte, o indigenista é acompanhado por vozes, provavelmente de indígenas que não aparecem no vídeo, que ressoam no eco da floresta sem fim.

O remix
O cantor, compositor e arranjador André Abujamra assistiu ao vídeo, assim como milhares de brasileiros, comovido. Impulsionado pela emoção da história, a candura das imagens e tudo o mais fez um remix do canto.

Abujamra conta: “eu não costumo ficar profundamente triste. Quem me conhece sabe que sou muito otimista e raramente faço a tristeza me dominar, mas hoje eu quebrei a espinha! Geralmente eu faço música como uma oração! Quando vi o vídeo do bruno chorei muito e daí fiz esse remix! meu amigo /irmão Mauro Renui fez o vídeo! força e amor”.

Conforme muito bem descrito pela Revista Fórum, “o que já era bonito por si só, virou um épico, impulsionado pelos fatos e pelo tratamento dado a Abujamra à canção. Uma sofisticada reação musicada à destruição de uma das regiões mais nobres do mundo pelo garimpo, pelos madeireiros, criadores de gado e toda a sorte de exploradores que receberam sinal verde de um governo decidido a ‘passar a boiada’ pelo local.”

E ainda: “André Abujamra estica a corda da emoção e nos entrega uma obra-prima composta por todos os povos da floresta. Um novo Hino Nacional que já era escrito séculos antes dos brancos, séculos antes de tudo.”

Emocionante demais! Que essa música seja luz neste dia enlutado do Brasil.

Fonte: Revista Fórum

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.