Foi ampliada recentemente na Austrália uma lei que visa deter a migração de qualquer pessoa condenada por crimes de violência doméstica contra crianças e mulheres vindas de qualquer lugar do mundo, impedindo-as de conseguir um visto para entrar no país

A lei não se aplicará apenas para turistas, mas também para moradores que já possuem visto. O cantor americano de R&B Chris Brown e o astro do boxe Floyd Mayweather, por exemplo foram banidos do país no passado, devido aos crimes que cometeram no passado.

Em um comunicado público, o Ministro Federal de Imigração, Cidadania e Assuntos Multiculturais, afirmou: “A Austrália não tolera os perpetradores de violência contra mulheres e crianças”.

“A mensagem é clara: se você foi condenado por um crime violento contra mulheres ou crianças, vocês não são bem-vindos neste país, onde quer que a ofensa tenha ocorrido, qualquer que seja a sentença.”

“Ao cancelar os vistos de criminosos, tornamos a Austrália um lugar mais seguro”, disse Coleman. “Esses crimes infligem traumas duradouros às vítimas e seus amigos e familiares, e criminosos estrangeiros que os cometem não são bem-vindos em nosso país”.

Leia também: Mulher decide nunca ter marido para não ser incomodada: “Vou ficar solteira para sempre”

A regra que entrou em vigor em fevereiro de 2021 causou controvérsias com o país vizinho. A Nova Zelândia, contesta a decisão do país de exportar os condenados. O motivo seria o fator da lei contrariar o conceito de reabilitação para dos criminosos. Além do fato de que os neozelandeses que já cumpriram suas sentenças por violência doméstica e viveram na Austrália a maior parte de suas vidas poderem ser expulsos e enviados para morar na Nova Zelândia

A Austrália enfrenta problemas internos de violência doméstica entre seus próprios cidadãos também. Cerca de 17% das mulheres e 6% dos homens do país enfrentam o problema desde os 15 anos. Os números não mudam desde de o ano de 2005, segundo a um estudo de segurança pessoal realizado pelo Australian Bureau of Statistics.

1 em cada 6 mulheres e 1 a cada 6 homens vivenciaram violência doméstica por um parceiro na Austrália

Houve também um aumento acentuado de pessoas que procuram serviços de combate a este problema social. O que para a professora de direito australiana Heather Douglass é um grande avanço.

Ela acredita que a demanda maior destes serviços não aponta um crescimento da estatística, mas simplesmente indica que mais pessoas estão tomando coragem de denunciar um problema que esteve embaixo dos tapetes por anos, comprovando uma política eficiente do país ao combater a patologia social.

Leia também: Mia Couto fala sobre pandemia, respeito à vida e a importância da próxima eleição brasileira

Fonte: Up Worthy 

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS