O borracheiro Vladimir Brito usou seu uniforme de trabalho para ir à formatura em Educação Física, onde pegou seu tão sonhado diploma após anos de esforço e estudos.

A história de vida do futuro educador físico ficou conhecida depois que fotos viralizaram, mostrando sua rotina na oficina onde ele usava as paredes do local para estudar os conteúdos da faculdade.

À imprensa, ele contou que devido à carga horária pesada, quase nunca tinha tempo para estudar. Daí, teve a ideia de ‘rabiscar’ as paredes enquanto trabalhava, chegando a usar as mãos sujas de graxa para escrever e tomar notas.

Leia também: Morre Rolando Boldrin, ator, cantor, compositor e apresentador, aos 86 anos

Vladimir trabalha no ramo de borracharia há mais de dez anos. Nesse meio-tempo, foi incentivado pelos amigos a realizar o antigo sonho de fazer uma faculdade.

De acordo com ele, a primeira opção seria psicologia por gostar de entender o comportamento humano.

“Foi engraçado porque eu pensava em psicologia, mas meus amigos me chamaram para uma viagem a Luís Correia [litoral do Piauí], e lá conheci dois profissionais da educação física e vi o trabalho deles. Foi amor à primeira vista”, lembrou ele, que se formou na última quinta-feira (3).

Na cerimônia de colação de grau, Vladimir estava vestido com o macacão de borracheiro – uniforme que o acompanha desde meados de 2010.

“Significa muito representar a minha profissão, a minha antiga profissão na verdade, e uma forma também de incentivar aqueles que são da área da borracharia e que têm um sonho de ter uma formação, e que use a profissão para realizar seu sonho”, contou.

Durante a entrega do diploma, ele aproveitou para falar da importância da sua mãe na caminhada acadêmica e nos momentos complicados em que pensou em desistir por conta das dificuldades entre conciliar o trabalho e os estudos.

“Cheguei a pensar em desistir logo no primeiro período, já estava há 10 anos sem estudar e foi difícil voltar. Tive ajuda de algumas pessoas para me direcionar e o pilar de toda história é a minha mãe. Apesar dela não ter uma escolaridade, ela sempre me disse ‘meu filho, o seu futuro é estudando. Só estudando você vai conseguir coisas boas’ porque a borracharia me sustenta, mas me desgasta muito fisicamente”, contou Vladimir.

Ao portal g1, o professor André Luis Rodrigues contou que o formando sempre foi uma inspiração para os outros estudantes da turma, inclusive por conta da metodologia própria de estudo.

Para André, era motivador para ele enquanto professor ter um aluno tão focado no curso.

“O Vladimir sempre foi uma motivação para a turma, muitas vezes ele não tinha pincel, e escrevia na parede com as mãos sujas de borracha, de graxa. Eu tive o prazer de acompanhar a evolução dele. E agora, nesse momento tão especial, ele se torna profissional de educação física. E eu tenho certeza que a comunidade e o Piauí ganham um excelente profissional”, disse o professor.

Leia tambémMãe compartilha foto de bebê gigante e brinca: “Parece que nasceu e já vai pra faculdade”

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

Fonte: SNB

RECOMENDAMOS